• Avenida Doutor Mário Sperb, 874 - Morro do Espelho
  • (51) 3592-1584
  • sinodal@sinodal.com.br

Em aula de educação financeira, alunos descobrem detalhes da nossa moeda

Pode parecer bastante óbvio afirmar que a nossa moeda nem sempre foi o Real. Mas pra quem nasceu há menos de dez anos, essa informação pode ser uma novidade. Nesta semana, alunos do primeiro ano do Fundamental, das turmas 11 e 12, das professoras Nádia Führ e Eliana Urmersbach, aprenderam detalhes sobre nossas cédulas e a nossa moeda na aula de Educação Financeira. Além disso, os estudantes também estão aprendendo a entender o valor do dinheiro e como utilizá-lo na prática.

            “Em casa, com ajuda das famílias, criaram suas cédulas e moedas, que foram usadas na simulação de uma loja de brinquedos, com os brinquedos da sala de aula. Todos puderam vivenciar o papel de clientes e caixas da loja. Aprenderam a dar e receber troco, olhar e comparar os preços, verificar se tinham o valor necessário para a compra e também a pensar se o que estavam comprando era realmente necessário. Foram levantadas questões como: será que vou usar esse brinquedo? Preciso de mais um brinquedo?”, conta Eliana.

            Segundo Nádia, foi muito interessante ver a interação das crianças com o dinheiro. “Alguns diziam: profe olha isso, esse fogão é maior e é mais barato que aquele pequeno. Eu vou brincar com as gurias e cada uma vai comprar um brinquedo diferente para usarmos juntas. Quando eu for caixa, vou dar descontos”, conta a professora.

            Durante a aula, os alunos ainda ouviram a história “A economia de Maria”, da autora Telma Guimarães Castro Andrade, onde refletiram sobre ter sonhos e economizar para conseguir comprar aquilo que tanto desejam.

            Um dos objetivos da Educação Financeira é a comparação de preços para um melhor investimento do dinheiro. “Pensando nessa proposta, realizamos uma pesquisa dos valores de alguns produtos do bar da escola e cada criança fez um comparativo desses mesmos produtos com os valores no supermercado de sua preferência. Dessa forma, estimulamos desde cedo o consumo consciente, baseado em pesquisas de preço e em pequenas economias que podem auxiliar na aquisição de algo maior”, explicam as professoras Eliana e Nádia.